terça-feira, 1 de agosto de 2017

Reavaliações

No cotidiano,
a vida exige de nós habilidades adicionais ao que imaginamos.
Demandas, 
muitas vezes emergenciais,
sobre as quais não fomos sequer capacitados.
Economias,
não somente de despesas,
mas também de palavras.
Silêncios,
segredos,
complacências,
serenidades.
Aceitam-se algumas interpretações antagônicas,
desde que isso não infrinja sua essência.
Respeito à sua natureza e valores não podem perdem a sustentação.
Nesta peregrinação por caminhos desconhecidos,
descobertas variadas de quão distantes podemos ir além do imaginado.
Daí a necessidade de,
diariamente,
reavaliarmos nossos caminhos trafegados,
sobretudo em momentos de concessões.
Instantes de consentimento podem propiciar a escolha de caminhos sem planejamento,
cujos destinos podem fluir a horizontes não imaginados,
onde não gostaríamos de chegar.
Revisões, reconsiderações...
Atitudes necessárias para o crescimento espiritual.
Disciplinas a cursar no melindroso caminho da sabedoria.
De tudo, uma percepção:
a algumas coisas,
deve-se relevar,
bem como podemos fechar os olhos.
Entretanto, a outras,
mesmo que fechemos os olhos,
não conseguiremos resignar.

Divagações

Há um sentimento vagando por aí... Verbalizado nos mais extrovertidos. Ofuscado de distintas formas,  sobretudo nos âmagos mais fechado...