sábado, 22 de julho de 2017

Silêncio

Silencio,
ingrediente a adicionar nas receitas da vida.
Seja qual for o cardápio e contexto social,
ele deve estar incluso nos temperos.
Condimento que não deve estar somente presente,
mas integrante de maneira expressiva,
combinando harmoniosamente com os demais componentes.
Juntamente com o silêncio,
inclusão de serenidade e paciência.
Relatar sobre isso,
quase uma utopia.
Na correria do cotidiano,
dificilmente se conseguem aplicar estes conceitos.
Em momentos turbulentos de pressão,
com o sangue fervendo nas veias,
perdemos a razão em variadas intensidades.
Por um fundamento instintivo de sobrevivência,
seguindo uma ordem natural,
parece existir a obrigatoriedade do ataque.
Uma espécie de ditadura da resposta,
algo implícito no ar,
onde temos de dar resposta aos fatos.
E nesta compulsão,
cometemos erros graves com nossas objeções,
disparadas em momentos tensos.
Silêncio...
Exercício necessário para preservar nossa identidade.
Comportamento de defesa e respeito a você mesmo.
Atitude para não se curvar a constantes afrontos do cotidiano.
Momento adequado ao sutil ofício da inteligência emocional.

Divagações

Há um sentimento vagando por aí... Verbalizado nos mais extrovertidos. Ofuscado de distintas formas,  sobretudo nos âmagos mais fechado...