terça-feira, 27 de junho de 2017

Limiar

Eu vim de longe.
De terras muito distantes eu vim.

Venho de lá das montanhas, mãe de algumas vertentes.
Impulsionado de pensamentos e sonhos.
Inspirado por conceitos, músicas, sonetos, versos, livros, ideias...

Eu vim com os ventos.

Vulnerável às brisas, ventanias e tornados...
Fadado às intempéries: frio, calor, chuva, geada.
Sinestesias aos montes.

Voando como um pássaro.
Passando por estações.

Quantas aerovias percorridas!
Nem bússola, nem gps.
Direções somente pelas asas e sonhos, no bater dos movimentos alados.

Por muitos momentos, necessidade de contornos nas direções dos ventos.
Visões e destinos constantemente revisados.
Alterações eventuais na proa, no decorrer de itinerários.

Cansado? Não.
Voar é preciso.

Divagações

Há um sentimento vagando por aí... Verbalizado nos mais extrovertidos. Ofuscado de distintas formas, sobretudo nos âmagos mais fechados,...